Florença, pura história

13/01/2018 | 4

Nos hospedamos perto da estação Ferroviária Stazione Firenze S. M. Novella, pois como chegamos e partimos de trem, foi a melhor opção de local que encontramos, para facilitar a logística, o que foi ótimo. Não é a parte mais bonita para se ficar, mas com certeza facilitou muito. Mas gente, lembrando que a Itália é uma cidade antiga, verifiquem se o local que vocês escolheram tem elevador, pois sofremos com isso. Optamos por alugar um apartamento, através do site booking.com, pois como estávamos em quatro pessoas, o custo diminuiu bastante. Mas para nossa surpresa, tivemos que subir três lances de escada com todas as malas…. Foi bem cansativo.

Ficamos somente um dia e meio em Florença, então optamos conhecer a cidade à pé que aliás, é uma das melhores atrações de Florença: caminhar a pé pelo centro histórico.

Nossa primeira parada foi na Basilica di Santa Maria del Fiori, mais conhecida como Duomo de Florença. É a quinta Igreja da Europa em grandeza, a catedral da arquidiocese de Florença e pode acomodar até trinta mil pessoas. O revestimento externo é um magnífico trabalho em mosaico colorido, feito com mármores brancos de Carrara, verdes de Prato, e vermelhos de Siena, ela é belíssima.

Basilica di Santa Maria del Fiori (Duomo de Florença)

Interior Basilica di Santa Maria del Fiori

Mas confesso que ficamos um pouco decepcionados com o interior. A gente vê aquela fachada espetacular e imagina que por dentro também seja, mas é mais simples. O que nos chamou a atenção é que sobre a porta de entrada há um relógio colossal com decoração em pintura de Paolo Uccello, e acertado de acordo com a hora italica, uma divisão do tempo comumente empregada na Itália até o século XVIII, que dava o por-do-sol como o início do dia. É possível subir a cúpula, mas são 463 degraus numa subida apertada, o que não fizemos porque tem que ter preparo físico e não sofrer em ambientes muito apertados. Preferimos não arriscar, mas dizem que a vista vale a pena.

Relógio no interior Basilica di Santa Maria del Fiori

Ao lado, encontramos o Campanile de Giotto. É a torre do sino da basílica, cuja fachada combina com o Duomo.

O Campanário tem mais de 400 degraus que levam até a parte mais alta. Os visitantes são gratamente recompensados quando, depois de subir seus 84 metros de altura, podem apreciar uma das melhores vistas da cidade. Como tem uma altura similar à da cúpula da Catedral, achamos que é mais interessante subir nessa e aproveitar as cenas do Juízo Final de Giorgio Vasari e Federico Zuccari.

Torre do sino da basílica (Campanile de Giotto)

Ao redor, na praça do Duomo, há uma série de lojas, restaurantes, cafés e gelattos divinos.

Continuamos nossa caminhada e chegamos até a Piazza della Signoria, uma das principais de Florença, onde fica um dos símbolos da cidade: o Palazzo Vecchio. Todo em pedra, com um friso de escudos e a torre do relógio, ele abriga hoje a Prefeitura de Florença. Na frente, vemos uma réplica do David de Michelangelo, a Fontana di Nettuno e a réplica do Marzocco de Donatello, a escultura de um leão, símbolo de Florença.

Palazzo Vecchio

Réplica do David de Michelangelo

À direita, ainda na praça, encontra-se a Loggia dei Lanzi, um espaço coberto contendo um belo conjunto de estátuas.

Loggia dei Lanzi

Na rua à direita de quem está de frente para o Palácio Vecchio, fica a Galleria degli Uffizzi. Nós não fomos, pois para apreciar uma galeria dessas, precisaríamos de um dia inteiro que não tínhamos, mas vale a pena conhecer. Para nós, vai ficar para a próxima vez. A Galleria degli Uffize é dividida em cerca de cinquenta salas ou ambientes, nomeadas geralmente pelo artista mais importante exposto. Tem salas dedicadas aos maiores artistas do Renascimento, como Leonardo da Vinci e Rafael, salas com arte clássica da Roma antiga, uma grande coleção de quadros de Sandro Botticelli com suas incomparáveis Primavera e O Nascimento de Vênus e obras dos maiores artistas do mundo como Michelangelo, Ticiano, Albrecht Dürer e Peter Paul Rubens. A Galleria degli Uffizi é uma das maiores atrações turísticas de Florença e um dos mais importantes museus do mundo. O palácio onde está o museu é lindo. Do lado de fora, vemos as estátuas de figuras ilustres, como Dante Alighieri, Maquiavel, Michelangelo, Galileu Galilei, entre outros. Caso queiram conferir riquíssimos detalhes sobre as galerias, vejam o post da nossa parceira a blogueira Suzi, do blog Viajante em Série: “Os Melhores Museus de Florença”.

Galleria degli Uffize

Seguindo em frente, chegamos na margem do Rio Arno que banha a cidade. De lá, podemos ver a Ponte Vecchio, que é outro belo símbolo da cidade. É uma Ponte em arco medieval, famosa por ter uma quantidade de lojas (principalmente ourivesarias e joalharias) ao longo dela toda, é de arrepiar e é difícil resistir às comprinhas. A vista da cidade e do rio de quem está nela é demais!!

Querem saber mais sobre esse belíssimo cartão postal de Florença? Então confiram o blog da parceira Tharsila que está cheio de detalhes e curiosidades sobre o Rio Arno e a Ponte Vecchio.

Rio Arno

Ponte Vecchio

Outra programação imperdível é a Galleria dell’Accademia, onde fica a estátua original de David de Michelangelo. Infelizmente não fomos por falta de tempo, conforme expliquei em relação a outra Galleria.

Próximo da Galleria, encontramos à Capela Médici: o mausoléu da famosa família que dominou a região por muitos anos. A Capela dos Médici (Cappelle medicee, em italiano) localiza-se no interior da Basílica de São Lourenço. Foi construída pela Família Médici durante a Renascença e atualmente compreende duas construções: a Sacristia Nova (concebida por Michelangelo) e a Capella dei Principi (Capela dos Príncipes). É considerada um dos mais importantes prédios religiosos da Toscana. Ao entrarmos na Capella dei Principi nossos olhos não sabem se focam as paredes, à cúpula, as esculturas, o altar ou o chão, pois tudo é feito em mármore de diversas cores, tanto as paredes, quanto chão. Uma obra de arte a parte, com um belo mosaico. A cúpula, além de iluminar toda a capela, é uma obra-prima formada por lindos afrescos. Por todos os lados podemos apreciar incrustações em mármores coloridos e pedras semipreciosas. Nas paredes estão brasões das cidades toscanas governadas pelos grão-duques.

Basílica de São Lourenço

Basílica de São Lourenço – altar

Basílica de São Lourenço – esculturas

Outro lugar importante é a Igreja Santa Croce. Essa é a principal igreja franciscana em Florença, e uma das principais basílicas da Igreja Católica no mundo. Está situada na Piazza di Santa Croce, a leste da basílica de Santa Maria del Fiore. É o lugar onde estão enterrados alguns dos mais ilustres italianos, tais como Michelângelo, Galileo Galilei, Maquiavel e Rossini. Essa infelizmente não tivemos a oportunidade de visitar.

Andando mais um pouco pelas ruas de Florença, chegamos até o Mercato Nuovo, uma espécie de mercado com artigos de couro e souvenires. Um dos mais tradicionais da cidade. Lá, tem uma estátua de um javali de bronze – o Porcellino – diz a lenda que se passarmos a mão em seu focinho, voltaremos à Florença, então é claro que fizemos nossa parte…kkk

Mercato Nuovo

Não deixem de visitar a Piazzale Michelangelo, um mirante onde temos uma vista panorâmica da cidade. Rende fotos excepcionais de vários pontos da cidade.

Vista da Piazzale Michelangelo

Você ama gastronomia local? Então não pode deixar de experimentar o prato mais famoso de Florença que é a “Bistecca alla Fiorentina”, que consiste em um corte do filé bovino, geralmente de um animal da raça Chianina da faixa de 10 a 15 meses de idade. Essa parte é bem espessa e contém osso. O nome desse filé provém da antiga tradição florentina de celebrar a festa de São Lourenço…….é sensacional!!

Bisteca a la Fiorentina

Nosso roteiro foi basicamente um grande passeio pela cidade, apreciando seus labirintos de ruas e belíssimos monumentos.

É demais andar por Florença e se embrenhar por aquele centro histórico!

Os palácios e museus são lindíssimos e merecem ser visitados com calma, por isso voltaremos para essa deliciosa cidade novamente.

No dia seguinte fomos nos maravilhar com as Cinque Terre, localizadas na Riviera Italiana, região da Ligúria. Foi um passeio que durou o dia todo. Fomos de ônibus e compramos através da decolar.com. Detalhes sobre esse dia maravilhoso clique aqui.

Bom, no último dia fizemos uma excursão, que compramos através da decolar.com, para conhecer a famosa Torre de Pisa. Foi uma viagem de ônibus de aproximadamente duas horas. Situada na cidade italiana de Pisa, uma das mais visitadas da Toscana, na Piazza dei Miracoli está a famosa torre torta que todos querem tirar a uma foto fazendo de conta que está segurando-a. A Torre é um campanário do Duomo di Santa Maria Assunta. Na Piazza vemos também o baptistério que é o maior local de batismo da Itália.

Torre inclinada de Pisa

Você pode também entrar na Torre, que é considerada o cartão postal da cidade, e subir seus 296 degraus e do topo ter uma bela vista da cidade. Nós não fizemos essa subida por dois motivos: tempo e estávamos com uma pessoa idosa da família que não aguentaria tal esforço. Mas se tiverem condições, não deixem de subir e ter essa experiência..ahhh e tirar belíssimas fotos. Por ser um monumento histórico, o acesso é controlado e só podem entrar 25 pessoas a cada vinte minutos. A subida é paga e o ingresso pode ser comprado pela internet ou no próprio local.

Batistério

Curiosidades sobre a torre:

Quanto tempo demorou sua construção? A Torre de Pisa é uma obra de arte feita em mármore branco e começou a ser construída em 1173, realizada em três etapas que duraram quase 200 anos, pois além do problema da inclinação, a obra foi interrompida pelas guerras da época.

Por que ela é torta? Sua inclinação começou no terceiro andar, após cinco anos do início da construção, pois foi feita sobre três metros em um subsolo fraco e instável, o que não aguentou a sua estrutura majestosa.

Por que ela não cai? Reuniram-se diversos arquitetos, engenheiros, matemáticos e historiadores com o intuito de resolver o problema apresentado pela inclinação da Torre. Uma das alternativas foi acrescentar 800 toneladas de contrapesos de chumbo em sua base.

Basilica de Pisa

Interior da Basílica

Enfim pessoal, super recomendamos esse passeio, pois como tudo na Itália, tem uma estrutura magnífica, sem contar a história. Então se estiverem pela Toscana principalmente em Florença, por questões de logística, não deixem de visitar Pisa.



Booking.com

Escrito com carinho por
vivendoavida

4 Comentários

  1. Suzy Freitas disse:

    Mais um ótimo post sobre a Itália! Já ouvi outras pessoas comentarem que se decepcionaram com o interior do Duomo, mas a arquitetura externa parece ser magnífica! Os cliques estão maravilhosos como todos do blog. Parabéns!

    • vivendoavida disse:

      Obrigada pelos elogios Suzi, ficamos felizes em poder ajudar e inspirar. Florença é incrível, uma cidade que respira arte. O Duomo por fora é uma obra de arte, talvez por isso que a gente se assusta com a simplicidade interna. Beijos e mais uma vez obrigada pelo prazer da sua visita.


Deixe sua opinião!