Gozo, paraíso no Mediterrâneo

02/02/2018 | 0

Gente, esse foi outro lugar que passamos o dia e vamos voltar com certeza! Só conseguimos conhecer um pedacinho desse paraíso de lugar.

Fizemos esse passeio através do Cruzeiro MSC Meraviglia.

Malta, oficialmente República de Malta, é um país desenvolvido no sul do continente europeu cujo território ocupa as Ilhas Maltesas, um arquipélago situado no maravilhoso Mar Mediterrâneo (somente três ilhas são habitadas: Malta, Gozo e Comino). Malta abrange uma área terrestre de 316 km², sendo um dos menores países da Europa, possuindo também a maior densidade demográfica do continente.

Gozo é a segunda maior ilha das três que são habitadas…é um espetáculo à parte. Como Malta está a apenas poucos km da Tunísia, na África, tem muita influência árabe. É muito interessante andar pela ilha e ver as construções, parece realmente que estamos em área muçulmana.

Influência Árabe

Bom, nossa primeira diversão foi pegar a lancha no porto de La Valetta, que é a capital de Malta. Foi uma viagem de mais ou menos 30 minutos até chegarmos em Gozo. No caminho paramos para apreciar a entrada das cavernas da Ilha de Comino. De longe a gente vê um mar azul turquesa maravilhoso, mas quando chegamos perto da entrada das cavernas, a água fica um verde claro de uma cor intensa, que não temos palavras para descrever tanta beleza.

Entrada das cavernas da Ilha de Comino

Entrada das cavernas da Ilha de Comino

Entrada das cavernas da Ilha de Comino – mais próximas

Tá aí um lugar que ficamos frustradas por não ir: Ilha de Comino. É lá que tem a incrível Lagoa Azul (ou Blue Lagoon), tipo aquele lugar que você tem que conhecer um dia na vida. Dizem que a cor da água impressiona até mesmo quem já visitou as praias mais bonitas do mundo, é de um azul fantástico (tipo o que descrevemos quando passamos pelas cavernas). Pelo que pesquisamos, tem também uma boa infra estrutura para passar o dia na praia. Com certeza voltaremos para ver de perto esse pedaço do paraíso.

Ao chegar na ilha, pegamos um jipe aberto que nos levaria para a Baía de Hondoq, onde ficaríamos para tomar banho de mar. Uma dica: pelo que pudemos ver, a melhor opção para conhecer a cidade em um dia é pegar um ônibus daqueles de dois andares que fazem um tour pelos principais lugares. Eles são conhecidos como “hop on / hop off”, já que te dão a possibilidade descer onde quiser e pegar o próximo ônibus, sem a necessidade de pagar outra passagem (custa por volta de 11 Euros).

ônibus hop on – hop off

No caminho, pudemos conferir alguns dos deslumbrantes e intocados cenários e pontos turísticos principais, passando por ruas estreitinhas e as casas com os tijolinhos marrons. Todos são dignos de fotos, como a impressionante Rotunda de Xewkija (Igreja dedicada a São João Batista).

Ruas da cidade

Rotunda de Xewkija (Igreja dedicada a São João Batista)

Outra parada que fizemos, só para ficar com água na boca, foi na baía de Xlendi, que diga-se de passagem, ficamos com vontade de ficar por lá e apreciar aquela vista estupenda!! Xlendi Bay, como é chamada, fica localizada no lado Sudoeste da ilha de Gozo. É cercada por altas falésias e tem vistas espetaculares para toda a baía de Xlendi, e, mesmo pequena, é muito disputada durante o ano todo, em especial no verão. Dizem que ver o pôr do sol lá é incrível!!!!

Baía de Xlendi

Baía de Xlendi – vista para o mar

Uma de nossas paradas para observar mais um pouco essa maravilha de lugar, foi na Dwejra Bay. Aqui, geologia, história e água se combinam para criar algumas das paisagens mais deslumbrantes das ilhas: a Azure Window, o Mar Interior, Fungus Rock, Dwejra Tower e penhascos íngremes e costões rochosos. Infelizmente no dia 08 de março de 2017, uma tempestade destruiu a Azure Window (um imenso arco natural, formado por pedras que ficam dentro de um mar incrivelmente azul), um dos pontos turísticos mais famosos de Gozo. Não tivemos a oportunidade de ver. Uma pena! 🙁

Dwejra Bay

Pudemos ver a torre de Dwejra, que foi construída durante o reinado do grande mestre Antoine de Paule em 1651, com o objetivo principal de se proteger contra ataques do mar, mas adquiriu também outra função, a de proteger o Fungus rock (uma rocha de 65 metros de altura), e a planta que medicinal que crescia por lá. Devido à importância desta planta, os Cavaleiros bloquearam o acesso à rocha alisando os lados do penhasco protegendo contra intrusos.

Torre de Dwejra

Fungus rock

Aqui também vemos o chamado Mar Interior, que é uma extensão de águas rasas colocada em um recesso profundo no litoral produzido pelo colapso de cavernas subaquáticas há milhões de anos.

Mar Interior

Chegamos ao nosso destino final: a Hondoq Bay, localizada na costa sul de Gozo encontramos uma praia de cascalho característica conhecida como também como Hondoq ir-Rummien. As águas são azuis e cristalinas que até parecem uma piscina e a costa é formada por pequenas cavernas e atraem muitos mergulhadores. Mas gente, para nós que estamos acostumados com a água morna do Atlântico, não conseguimos ficar muito tempo na água, pois é mega gelada!!!!

Hondoq Bay

Hondoq Bay

Enfim, Gozo é uma ilha incrível, gostaríamos de ter passado pelo menos uma noite por lá. Aliás, queríamos ter ficado até mais tempo, aproveitando todas as delícias da ilha!! Voltaremos com certeza!!

Escrito com carinho por
vivendoavida

Nenhum Comentário


Deixe sua opinião!