Santiago, Vinícola Santa Rita

02/09/2018 | 6

Já fomos duas vezes para Santiago e queremos voltar em breve, pois é uma cidade encantadora, com uma riqueza natural incrível! Na última vez que fomos, o tempo era curto, pois o foco da viagem era a neve onde fomos até Nevados de Chillán, se quiser saber mais detalhes, clique aqui!

Passamos poucos dias em Santiago e tivemos que escolher uma dentre tantas vinícolas maravilhosas que tem nas proximidades. A escolhida foi a Vinícola Santa Rita, pois como não tínhamos reservado nada, essa foi a opção que conseguimos e não nos decepcionou, pois é incrível!!

Há apenas 40 quilômetros de Santiago, no Valle del Maipo, a Vinícola Santa Rita oferece uma fascinante viagem pelo Patrimônio Histórico do Chile. Para viver uma experiência única e conhecer cada pedacinho da vinícola, a Santa Rita oferece vários tipos diferentes de tours.

Nós fizemos o tour Clássico que começa no jardim de variedades, onde a guia explica os tipos de uvas e conta uma curiosidade que não conhecíamos: foi ali nos vinhedos da Santa Rita que o Carmenére foi redescoberto!!! Não é incrível! Somos apaixonadas por vinho e o Carmenére é um dos que mais gostamos. Na verdade ele foi redescoberto porque no ano de 1860 a peste da filoxera atacou os vinhedos da França o que ocasionou em sua extinção. E no ano de 1994 o Francês, Jean Michel Boursiquot, estava caminhando pelas plantações de uva da Viña Carmen (do mesmo grupo da Santa Rita) e descobriu que as uvas que os chilenos pensavam ser Merlot, na verdade eram Carmenére.

Entrada da Vinícola

Seus produtos estão entre os mais consumidos no Chile e é exportado para 80 países no mundo. Além do mais, é uma empresa muito premiada e já levou o título de “Winery of the Year”, oferecido pela revista Wine & Spirits, por 10 vezes consecutivas. É ou não é uma ótima opção??

Dona de uma paisagem maravilhosa e com uma boa estrutura, a Vinícola Santa Rita ainda possui o restaurante Doña Paula, o Café La Pañaderia e o Museu Andino. Já vamos contar um pouco dessa história fascinante.

Casarão

Olha que coisa mais fofa isso!!!! É o “Pedal Bar”, foi criado pela vinícola, que nada mais é do que um “bar sobre rodas”. As pessoas se sentam ao redor do balcão móvel, dentro do qual fica o sommelier servindo e explicando sobre os vinhos. Enquanto isso os clientes do “bar” pedalam, passeando pela região!!! Deve ser um passeio incrível para quem vai no verão, passeando, degustado e vendo as lindas paisagens….no nosso caso vai ficar para a próxima, pois não tínhamos tempo….que pena né!

Pedal Bar

A história conta que os espanhóis queriam colocar fogo na fazenda e Doña Paula enfrentou os soldados e então entregou o fogo nas mãos deles e dizendo que poderiam queimar tudo. Essa atitude fez com que eles desistissem e fossem embora. Assim os 120 soldados chilenos se salvaram graças à coragem dela. Na série de rótulos de vinhos Santa Rita há um com o nome 120, em homenagem aos soldados. E a casa tornou-se Monumento Nacional do Chile.

A mansão Doña Paula, onde hoje é o restaurante, era a residência da senhora que “escondeu” 120 soldados que lutavam pela independência do Chile e que tiveram que fugir após serem derrotados na batalha de Rancagua. Doña Paula escondeu os soldados no subsolo da fazenda, onde hoje ficam armazenados os barris de carvalho com vinho e existe também todo um cenário, com estátuas representando as cenas, além de se poder assistir um vídeo explicativo.

Barris armazenados no subsolo

Estátuas representando a história dos soldados

Tem também uma grande adega onde estão armazenados vinhos produzidos desde 1986 e que são muito valiosos. Dos vinhos da safra de 1986 restaram apenas 12 garrafas e por isso não são mais comercializados.

Vinhos armazenados para comercialização

Bom, falando do tour, após essa introdução à história, fomos conduzidos para o jardim de variedades de uvas, seguimos pelo vinhedos, que na época de inverno, quando fomos, estão descansando. A colheita das uvas acontecem no período de janeiro a maio, então se quer ver os pés repletos de uvas tem que voltar no verão….esperamos voltar para ver de perto essa maravilha. Depois entramos na primeira bodega, onde a guia explica o processo desde a chegada da uva até o processo de fermentação.

Posteriormente segue-se para a segunda bodega, onde estão os tanques de aço inoxidável, onde os vinhos ficam fermentando e é dada uma explicação sobre as temperaturas da fermentação dos vinhos e algumas dicas sobre a temperatura ideal para servir cada tipo de vinho. Várias dicas interessantes para quem ama vinho, assim como nós.

Tanques de aço inoxidável

Passamos então para a área de embotelhamento com uma explicação rápida sobre como é feito o processo e os números de exportação dos vinhos Santa Rita, que curiosamente 60% da produção fica no Chile.

Embotelhamento

Descanso nos Barris

Por último, visitamos a histórica Bodega Cal y Canto de 1880, que no ano de 1972 foi tombada pelo Patrimônio Histórico e hoje já não é mais utilizada para guarda de vinhos. Por fim, fomos para a Bodega dos 120 Patriotas. E é ali que acontece a degustação dos vinhos. Imagina se não saímos dali deslumbradas e gostinho de quero mais com os sabores dos maravilhosos vinhos chilenos. Gente, além da maravilhosa degustação, ainda ganhamos uma linda taça de lembrança.

E é claro que no final de tudo tem a loja onde vendem todos os vinhos da Linha Santa Rita, que são todos muito bons….a gente se acabou de comprar vinho…kkkk

Dica: antes de ir faça sua reserva através do site da vinícola para que não corra o risco de não conseguir entrar, pois cada tour tem um limite máximo de pessoas. Outra dica importantíssima……na saída da vinícola você encontra pelo caminho vários pequenos restaurantes, então pare em qualquer um deles para comer a insubstituível empanada chilena….gente é de comer rezando….uma verdadeira delícia!!!!!

Bom mencionar que fizemos esse passeio com um taxista muito bacana, que foi quem nos indicou essa vinícola e fechou com a gente um valor para passar o dia com a gente. Durante o caminho ele nos passou varias curiosidades e informações sobre Santiago e sobre o Chile. Além desse passeio maravilhoso, ainda de quebra vimos de perto as cordilheiras, que deu um gostinho ainda mais especial para o nosso passeio. Valeu muito a pena! Mas se forem optar por locar um veículo, recomendamos muito a rentalcars, onde vocês encontram várias opções e preços ótimos.

Bom gente é isso, um tour que recomendamos muito, pois além de um ótimo vinho, a beleza natural e a história do lugar encantam.

Esse post faz parte de uma blogagem coletiva no qual falamos sobre nossas experiências em lugares incríveis ao redor do mundo. Os posts de hoje são sobre inesquecíveis vinícolas para conhecer e se deliciar. Blogueiras:

Vinícolas na Califórnia, com a Manu do blog: manunomundo.com

Vinícola Leone di Veneza na Serra Catarinense, com a Aninha do Blog: aninhaporai.com.br

Vinícola Franco Italiano em Curitiba, com a Michele do Blog: bagagemparadois.com.br

Vinícola Miolo e Spa do Vinho em Bento Gonçalves, com a Paty do blog: paromundo.com

Vinícola Concha Y Toro e Tonet no Chile e Guia para iniciantes, com a Tharsila do blog: mapeandomundo.com

 

Escrito com carinho por
vivendoavida

6 Comentários

  1. Que post incrível! Simplesmente amei. Com certeza quando retornar ao Chile Santa Rita estará no topo da minha lista. Obrigada por compartilhar conosco. Grande beijo.

  2. Michele Gorges disse:

    Amei o post Avelina e Vivian!
    Adorei conhecer a história da vinícola e principalmente saber que foi nos vinhedos da Santa Rita que o Carmenére foi redescoberto. Em nossa visita ela certamente estará na lista. Grande beijo

    • vivendoavida disse:

      Oi Michele, ficamos felizes que gostou! Realmente a história do lugar é muito bacana. Com certeza merece a visita em qq época do ano. Beijos e obrigada pela visita em nosso blog.

  3. Manu disse:

    Oi Meninas!!! Que texto lindo de ler, vocês sempre com muito cuidado com os detalhes que consigo me imaginar nos lugares viajando com vocês! Beijinhos!


Deixe sua opinião!